sábado, 24 de janeiro de 2009

Globalizar a resistência



Começo de ano que prenuncia bons ventos com cheirinho de novidade aqui e ali. Tempos que nos trazem renovadas esperanças e novos desafios.
Por aqui o momento é de férias e Rio das Ostras, a “pérola entre o rio e o mar”, tem recebido turistas de vários cantos do país e do exterior em busca de seus aprazíveis recantos e praias paradisíacas. Isto se São Pedro, que também é nosso amigo, caprichar na forcinha...
Estamos no período de férias escolares, para o justo descanso dos nossos alunos. Para eles, os momentos de descontração e lazer, proporcionados pelos dias de sol e de praia. Já para os professores, férias é uma questão de direito. Esse tempo é primordial para que educadores e gestores recomponham as energias, avaliem suas ações e se preparem para mais um período letivo.
E como os tempos são mesmo de novidades, o CEPRO – Centro Cultural de Educação Popular de Rio das Ostras – esta realizando sua primeira Colônia de Férias. Sucesso absoluto. Com atividades lúdicas e divertidas para as crianças e adolescentes de nossa cidade, os educadores do Cepro colocaram literalmente mãos à massa, para a felicidade das crianças e dos papais.
A Colônia de Férias do CEPRO é mais uma iniciativa da diretoria desta entidade, no sentido de manter o compromisso no desenvolvimento de projetos que valorizem a nossa comunidade, em favor da melhoria e avanços na sua qualidade de vida.
Voltando os olhos para além de nossas fronteiras, os novos tempos marcam o fim da era Bush. Um governo que termina de forma melancólica, depois de uma série de erros em sua política externa e de lançar o país em sua pior crise desde a Grande Depressão de 1929.
Bush agora é passado. Deixa para trás sua triste memória e as marcas sangrentas das guerras do Afeganistão e Iraque e a imagem que certamente ficará na lembrança de muitos de nós: a sapatada histórica.
Os olhares se voltam para o novo presidente, Barack Obama. O primeiro cidadão negro americano a ocupar a Casa Branca, cujo mandato está cercado de grande expectativa, especialmente entre os americanos.
Pela nossa formação, fica o registro de que não estamos acostumados a que um homem sozinho transforme a história, ainda mais quando o sistema que o elegeu se mantém quase inalterado. Mas, sem dúvida, é bastante especial e simbólica esta vitória para o mundo contemporâneo.
São possibilidades que se apresentam sob os auspícios da transformação. E neste sentido, é fundamental lembrar que entre os dias 27 de janeiro e 1º de fevereiro acontece em Belém, no Pará, o Fórum Social Mundial (FSM). Lá, milhares de militantes de todo mundo irão discutir a Amazônia diante dos repetidos alertas dos ambientalistas sobre os perigos do aquecimento global e da crise climática.
Como registramos em nosso artigo anterior, nesta VIII edição do FSM será também tratada a utopia de Um Outro Mundo Possível, conforme o consagrado lema do Fórum.
E para explicar um pouco esta história, busquei carona no pensamento do sociólogo português Boaventura de Sousa Santos. Segundo ele, “No fundo, a busca do Fórum Social Mundial por uma sociedade alternativa começou com a crise que agora atinge o sistema. (...) Por isso que a gente diz que um outro mundo é possível, é um ‘outro mundo’ por que não sabemos qual é exatamente esse mundo”.
Chamo a atenção para outro movimento que acontece para além de nossas 200 milhas, e que merece todo o nosso apoio e destaque, o Congresso de Pedagogia 2009. Entre os dias 25 e 30 de janeiro, Educadores de diversas partes do mundo se reunirão Havana, Cuba. A pequena e mais famosa Ilha do Caribe tem resistido, heroicamente, ao cerco e embargo dos EUA, há várias décadas.
O povo cubano na sua história de resistência ativa tem dado prova do quanto vale a solidariedade e do quanto podemos e devemos aprender com todas essas vivências e experiências, que apontam para a meta maior, que é o movimento social internacionalizado: avançar diante dos desafios das lutas globais.
Em tempos de globalização, também é necessário globalizar a resistência.

Profª Guilhermina Rocha
Especialista em Educação e Historiadora
Presidente do CEPRO
guilherminarocha@oi.com.br

Centro Cultural de Educação Popular de Rio das Ostras
Avenida das Flores nº 394 – Bairro Residencial Praia Âncora
Rio das Ostras
Telefone: (22) 2760-6238
E-mail:
cepro.rj@gmail.com
blog: cepro-rj.blospot.com

domingo, 11 de janeiro de 2009

Colônia de Férias no CEPRO


O CEPRO (Centro Cultural de Educação Popular de Rio das Ostras) tem o prazer de convidar nossos amiguinhos para participar da Colônia de Férias no CEPRO.

Entre os dias 12 e 23 de janeiro de 2009, das 09:00 horas às 12:00 horas, vamos ter Oficina de Arte e Reciclagem, ContAção de Histórias, Oficina Ambiental, cineminha, gincana, música, dança e muita diversão!

Para confirmar sua inscrição você precisa:
Presença do seu responsável;
Comprovante de residência;
Ter a idade entre 4 anos e 13 anos;
E comprovar que está matriculado na escola, para os que estão em idade escolar.

Participe, vai ser muito divertido!

Diretoria do CEPRO

Centro Cultural de Educação Popular de Rio das Ostras
Avenida das Flores nº 394 – Bairro Residencial Praia Âncora
Rio das Ostras
Telefone: (22) 2760-6238
E-mail: cepro.rj@gmail.com
blog: cepro-rj.blospot.com

Conselho Municipal de Alimentação Escolar (CMAE) - Gestão 2009/2010

Merenda escolar é coisa muito séria

O CEPRO (Centro Cultural de Educação Popular de Rio das Ostras) parabeniza a eleição do Professor Jean Cerqueira, Diretor de Comunicação desta Entidade, como membro Representante dos Professores do Conselho Municipal de Alimentação Escolar (CMAE) para a Gestão 2009/2010. Além dos professores, o CMAE é formado por membros do poder executivo, do poder legislativo e por representantes da Sociedade Civil.
A atuação dos Conselhos Municipais de Alimentação Escolar está prevista na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei nº 9.394/96). Tendo como papel fundamental fiscalizar o correto funcionamento do Programa Nacional de Alimentação Escolar, atuando no sentido de garantir à sociedade o fornecimento de refeições saudáveis e nutritivas aos estudantes da rede pública de ensino.
Três pilares devem sustentar os Conselhos Municipais de Alimentação Escolar: legitimidade, representatividade e eficácia.

O CMAE deve ser autônomo, privilegiando a transparência e socializando as informações para controle do orçamento e dos gastos públicos; deve buscar ainda integrar-se e articular com diversos fóruns sociais.

Aos governos cabe respeitar essa autonomia e proporcionar a formação continuada dos conselheiros.

CEPRO – Centro Cultural de Educação Popular de Rio das Ostras
Avenida das Flores n.° 394 – Bairro Residencial Praia Âncora
Rio das Ostras – RJ
CEP 28.890-000
Telefax: (22) 2760-6238
E-mail:
cepro.rj@gmail.com
Site: cepro-rj.blogspot.com

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Artigo da Professora Guilhermina Rocha no Jornal Razão


Em 2009, um mundo mais próspero e de paz para todos


“Todo ser humano tem direito de tomar parte no governo de seu país. E a vontade do povo será a base da autoridade do governo.”

(Declaração Universal dos Direitos Humanos. Art.21)

A História do Capitalismo com as sucessivas crises tem nos ensinado muito. A mais célebre e desastrosa, o crack da Bolsa de Nova Iorque, em 1929, alastrou quebradeiras por todo mundo, o que levou os países a uma profunda e duradoura recessão e amarga onda de desemprego.
A conseqüência trágica disso, traduzida em nacionalismo belicista, levou a Europa e demais países à segunda guerra mundial. Com a nova geopolítica do pós-guerra as potências do mundo ocidental adotaram um novo estágio do Capitalismo — o chamado Estado do Bem-Estar Social, agora supostamente mais civilizado, que se manteve precariamente até os nos 70.
O Capitalismo, na sua inesgotável capacidade de se reciclar, passa a vigorar em bases políticas neoliberais, cuja face se expressa na busca do Estado mínimo. A partir dessa nova realidade, os movimentos sociais travam a batalha pelo Estado de direito, ou seja, a garantia legal e institucional de um conjunto de direitos que inclui liberdade, terra, trabalho, moradia, saúde, educação e segurança. Princípios universais já consagrados na Constituição Federal de 1988.

Hoje, neste mundo globalizado em que vivemos certamente que muitas indagações são pertinentes: Qual o espaço do individual e qual o espaço do coletivo? O que dizer dos valores que norteiam as ações humanas? O bem e o mal, o certo e o errado, o justo e o injusto são universais?
Neste ano, submerso em nova crise do Capitalismo, um novo estágio de lutas surge diante dos trabalhadores e dos movimentos sociais, qual seja, o de não permitir a reciclagem desse sistema perverso para a humanidade. O planeta terá que suplantar esta encruzilhada histórica, fruto da globalização assimétrica, onde o jogo da agiotagem e do cassino financeiro fez prosperar, para logo em seguida arruinar, fortunas, à custa da gigantesca bolha financeira, com devastadora repercussão mundial.
Um novo desenho da economia internacional, não excludente e regulada, deve estar nos planos da comunidade internacional, especialmente dos países emergentes, como é o caso do Brasil, para que não se repitam os erros históricos anteriores.

Convém compreender as relações entre o conceito e a contradição e a noção de transformação. Registremos, aqui, que ainda existem defensores dessa política do Estado mínimo, das privatizações e da contenção dos gastos públicos, em especial dos gastos voltados para as áreas sociais. A mídia hegemônica tem se utilizado do “abalo global”, no sentido de criticar os orçamentos do governo federal voltados para obras de infra-estrutura e programas sociais.

No plano municipal, os prefeitos recém-empossados se confrontarão com os novos desafios postos pela crise atual. No entanto, que desta vez o povo, tão sofrido, historicamente, não venha de novo pagar a conta pela irresponsabilidade de governos representantes das elites neoliberais e pela ganância do sistema financeiro e especuladores de plantão.
Afinal, em 2009, não queremos perder a esperança por um mundo mais próspero e de paz, conforme desejado e festejado neste último réveillon por todos nós. Um novo mundo é possível, ninguém jamais nos tirará essa certeza.


Profª Guilhermina Rocha

Especialista em Educação e Historiadora

Presidente do CEPRO

Centro Cultural de Educação Popular de Rio das Ostras

Colunista do Jornal Razão

E-mail: guilherminarocha@oi.com.br

CEPRO – Centro Cultural de Educação Popular de Rio das Ostras

Avenida das Flores n.° 394 – Bairro Residencial Praia Âncora

Rio das Ostras – RJ

CEP 28.890-000

Telefax: (22) 2760-6238

E-mail: cepro.rj@gmail.com

Site: cepro-rj.blogspot.com

Feliz 2009

CEPRO – Centro Cultural de Educação Popular de Rio das Ostras
Sede: Avenida das Flores n.° 394 – Bairro Residencial Praia Âncora – Rio das Ostras – RJ
CEP 28.890-000
Telefax: (22) 2760-6238
E-mail: cepro.rj@gmail.com
Site: cepro-rj.blogspot.com

quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

CEPRO - Centro Cultural de Educação Popular de Rio das Ostras

O que é ?

O CEPRO – Centro Cultural de Educação Popular de Rio das Ostras – é uma organização civil que tem como propósito apoiar, gratuitamente, a população de Rio das Ostras, em especial do bairro Residencial Praia Âncora. É uma organização não - governamental, de direito privado e sem fins lucrativo, que tem no trabalho militante e voluntário de seus associados o móbil de seus objetivos sociais.

Como fazemos?

Contamos com uma equipe de professores e educadores sociais responsáveis pelo trabalho político-pedagógico, técnico e administrativo. Este trabalho tem como pilares: Cidadania, Educação, Arte, Cultura, Juventude, Direitos Humanos e Meio Ambiente.

Como nasceu?

Somo um grupo de professores e educadores sociais que, por diferentes caminhos , nos encontramos e decidimos criar o CEPRO – Centro Cultural de Educação Popular de Rio das Ostras – com atuação neste município.

Nossos Projetos?

· Biblioteca Popular "Patativa do Assaré"
· Oficina de Arte e Reciclagem - Projeto : O lixo vira arte!
· Contação de Histórias
· Alfabetização de Adultos – Projeto: CEPRO Alfabetizando (Brasil Alfabetizado)
· Oficina Ambiental
· Videoteca
· Inclusão Digital
· Formação de Lideranças
· História e Memória de Rio das Ostras.

Parcerias e Convênios

A partir dos projetos em andamento, o CEPRO – Centro Cultural de Educação Popular de Rio das Ostras tem firmado parcerias e convênios com instituições governamentais e não-governamentais para o desenvolvimento de atividades de intercâmbio e cooperação nas áreas de promoção social.

Para alcançar nossos objetivos, procuramos:

Conforme nosso ESTATUTO no "Capítulo I - Art. 2° - O CEPRO - Centro Cultural de Educação Popular de Rio das Ostras tem caráter cultural, educacional e social, e tem como finalidades:
I – Promover, gratuitamente, atividades culturais, educacionais e sociais na perspectivas de seus objetivos;
II – Promover e apoiar todas as formas de manifestação artísticas e de cultura popular, em especial, as deste município;
III – Promover e apoiar todas as formas de defesa e conquista de direitos humanos;
IV – Defender e preservar o meio ambiente e promover o desenvolvimento sustentável
V – Incentivar atitudes e comportamentos de participação, organização e solidariedade, criando e/ou estimulando, para este fim, atividades, movimentos e organismos;
VI – Criar, aperfeiçoar e divulgar metodologias que instrumentalizem os seus objetivos, assim como divulgar os resultados dos estudos, pesquisas e experiências, em particular, nas áreas de formação e educação popular;
VII – Promover a ética, a cidadania, o voluntariado, a democracia, os direitos humanos e outros valores universais".

Contatos

CEPRO – CENTRO CULTURAL DE EDUCAÇÃO POPULAR DE RIO DAS OSTRAS
SEDE: Avenida das Flores nº 394 – Bairro Residencial Praia Âncora – Rio das Ostras- RJ- CEP:28.890-000.
TELEFAX: (22)2760-6238 - mailto:%3Acepro.rj@gmail.com